Maratona Euzaria

Publicado em

Maratona. Eu não sei qual foi a primeira lembrança que te fez memória ao ler essa palavra, mas confesso que “prova de corrida a pé, de longo percurso” não foi a primeira coisa que eu pensei. Na verdade, me lembrei de amigos e família. Mais especificamente de nossas maratonas de filmes e séries. 

Hoje, toda informação está em nossas mãos… uma receita, um endereço e até aquele documentário que nos faz expandir a consciência. E é pensando nesse movimento de interação que, a Euzaria criou uma série de ofertas especiais e imperdíveis. Daquelas que um episódio não é suficiente e faz a gente se preparar para uma maratona. 

26169403_1660090344034588_3017781530476114248_n

3 - postA “Maratona de Descontos” é acima de tudo pela educação, até porque já sabemos que a cada peça vendida, 1 dia de aula é viabilizado para um jovem do Instituto Aliança.  Três temporadas diferentes, uma a cada semana. A primeira (06 a 12 de janeiro) foi representada pela série da Netflix, que é conhecida por ser uma das comédias dramáticas mais assistidas no Brasil e no mundo, “Orange is the new black”. Na maratona Euzaria tomou a forma “Educação is the new black”! nessa primeira temporada, na compra de duas peças, a terceira (de menor valor) saia de graça! já pensou? um presente da Euzaria para você.

 2 - postMas calma! Aqui, se você perdeu a primeira temporada, não tem problema começar pela segunda… dá para acompanhar direitinho os próximos episódios. E, nessa temporada, que começou no dia 13/01, segue até HOJE! Dessa vez, a série considerada uma releitura do universo digital, “Black mirror”, torna-se um reflexo de muito amor. “Love mirror” é uma proposta de descontos progressivos. Digna de maratona… já pensou que, se na compra de uma peça você ganha 20% de desconto, em quatro (ou mais) peças você vai ganhar 50%!  

Depois dessa temporada, mais uma ainda vai ser lançada! Do dia 20 ao 28 de janeiro, uma nova temporada de ofertas espera por você. Já tem alguma ideia de qual pode ser a próxima paródia do bem?

IMG_0277

Além desse movimento, as missões desse mês também estão ligadas a uma série de boas escolhas e atitudes! E é por isso que não poderia finalizar esse texto sem cumprir a minha missão. Sabe aquelas histórias inspiradoras, que nos fazem repensar algumas de nossas ações? A Netflix tem muitas para compartilhar. Além das séries e filmes, a rede conta com documentários que provocam boas discussões. “Minimalism” por exemplo, traz entrevistas de pessoas que acreditam que bens materiais não trazem felicidade, falam sobre uma vida minimalista e abordam a questão: menos é mais?  

Alguns outros documentários na Netflix discutem sobre os impactos ambientais da criação de animais para o consumo humano ou sobre a nossa relação com os outros seres vivos à medida que a humanidade se afasta da natureza, como “Cowspiracy” e “Terra”, respectivamente. Mas, confesso que um filme, criado originalmente pela rede, me chamou atenção para esses assuntos e tem me impulsionado/motivado a grandes mudanças. O filme “Okja” é um fogo cruzado entre o ativismo animal, a ganância empresarial e a ética, com um cenário da relação de amor entre uma menina e seu “Super porco”.  

Em falar em filmes, que confesso ser minha parte preferida, deixo três grandes histórias de superação em família para vocês. São representadas em “O extraordinário”, lançamento de 2017,  “O impossível” de 2012 e “Um sonho possível” de 2009. Diferentes dificuldades, são vividas em cada um desses filmes, mas igualmente inspiradores. Já que, como diria August Pullman, personagem principal de “O extraordinário”, “Todo mundo deveria ser aplaudido de pé pelo menos uma vez na vida, porque todos nós vencemos o mundo.” 

Agora é hora de correr atrás dessas séries de oportunidades, do mundo real e cinematográfico! e, esperamos você nesse movimento junto com a gente! 

Com amor, gratidão e motivação, vamos juntxs ser maratonistas da vida! 

“A maratona, sugere uma ação continuada na busca de resultados através da superação. “ 

Texto escrito com amor, pela querida: Julia Lemos

Natal Euzaria

Publicado em

Dia 25/12, 19:30. A ceia já estava na mesa, os presentes escondidos. Parte da família já estava reunida, a outra parte, chegava para começar a celebração. Não teve pinheiro iluminado, ou enfeitado, mas as árvores que rodeavam a praça Marechal Deodoro.  

01

Para a Família Euzaria, é sempre tempo de solidariedade. Essa foi mais uma noite de celebrar o amor ao nosso próximo e a gratidão pela vida! Pelo terceiro ano consecutivo, chegou a noite de fazer a ceia na rua.

02

As luzes que não iluminaram um pinheiro, transbordaram almas em sorrisos verdadeiros. Os abraços reais, o acolhimento/pertencimento e o eco da palavra “obrigada” formaram o cenário do encontro de diversas famílias como a nossa. Encontro que funde famílias, que nos torna uma só, que nos permite entender que somos todos iguais.  

Três anos de rotina solidária. Três anos e o natal de 2017 foi a minha primeira experiêcia fora das quatro paredes de consumo – consciente – da Euzaria. No ponto de encontro, falamos sobre empatia e gratidão. Duas das três palavras que permearam o meu ano. A terceira é graça, que significa oferta ou favor que se oferece ou se recebe de alguém. Falamos também sobre chamado e mudança. Meu coração na mesma frequência daquelas palavras. Sintonia. Já não mais me sentia caloura em um evento beneficente, mas parte de uma família, unida pelo mesmo propósito.  

03

Uma mesa farta e sacos cheios de presentes. Voluntários de coração aberto, dividindo amor e carinho, em um encontro que tinha como maior proposta fazer a diferença! Teve muita dedicação, colo e brincadeira. A ceia foi muito além do prato cheio e o copo de suco/refrigerante/água. A ceia foi além do “Tia, coloca mais um pouquinho de purê…” ou “Tio, consegue uma bola para o meu filho?”. Alimentamos nossos corações e o de outras famílias também. Dividimos alegrias e celebramos a vida juntos, apesar das dificuldades. Celebramos o hoje. Acredito então, que deveríamos dizer que multiplicamos alegrias. 

Empatia, gratidão e graça. As três palavras ainda ecoam meu coração, mas não terminaram o ano apenas como palavras. Através da vontade de mudar, de transbordar, de buscar sentido, decidi ouvir o chamado que desperta meu coração todos os dias, posso afirmar que é divino. Uma vida com propósito te tira da zona de conforto, te transforma e te transborda. O propósito te desperta e te impulsiona a mudar.

Nada melhor do que tornar prática viva tudo aquilo que acreditamos, “Seja a mudança que você quer ver no mundo” é um lembrete diário para ser a ação principal do nosso dia a dia.  

Com amor, gratidão e motivação, Feliz Natal!

Texto escrito pela querida: Julia Lemos

Minha história com a Euzaria – Por Bruna Lins

Publicado em

2017-07-05-PHOTO-00000015

Há um ano, eu comecei a paquerar umas postagens no Instagram. Comecei a seguir a marca e então eu vi a camisa em prol do teto, projeto que flerto há tempos. Parecia um sinal, eu precisava contribuir. 

Entrei no site, acabei escolhendo tbm uma camisa pra o meu sobrinho, no site o estoque tava zerado. 

Entrei no facebook, mandei msg, de pronto, alguém respondeu, atualizei, pode marcar. 

Finalizei a compra, agradeci a esse alguém que muito gentilmente me respondeu: ó corremos e postamos hoje viu?!

Então, começa a saga. Encomenda que não chega. Saga correios que mandou pra o rio, saga correios que manda de volta pra recife, pra depois de uns 20 dias chegar. Saga de uma comunicação linda, de uma prestação de conta linda, de mensagens trocadas. 

Em paralelo, sigo minha vida tentando achar um propósito. Meio inquieta, procuro alguma coisa que faça sentido. 

Eis que chega a Encomeda, ainda perfumada, tudo exatamente lindo, com um cuidado. Desses amores que resistem as sagas. 

Corri, pra então falar com o perfil. 

Chegou!!! E aí, se fala e agradece o carinho e cuidado e que certamente a euzaria tinha conquistado meu coração.  

Mas uma compra e mais troca de mensagens. Eu ganhei um bônus por causa dos correios. Só que acabei comprando sem o vale de desconto. 

Então o Zé falou: vou mandar o dinheiro dentro da caixa. 

Eu falei: não!! Pelo amor deus. Use aí pra comprar água para as ações.

Pronto.

Encomenda chega e pá! Uma caneca, que por alguma razão, tem a mesma frase da minha tatuagem. 

Sinal?

É, também achei que seria. 

Um convite pra ser euzaria em Recife, uma vontade de sair de Recife. Salvador, Bahia, euzaria. 

Foi assim que fui parar na Bahia, vendo Salvador de um jeito muito especial que só essas pessoas podem mostrar. De cara quando cheguei eu já fui parar em um Jantar de Rua e meu coração ficou tãããão preenchido, que toda a saga dos correios fez sentido. 

É algo tão mágico que acontece, é uma troca que dinheiro nenhum quantifica. 

E os abraços, são reais. O acolhimento e pertencimento também. É uma família mesmo. 

Volto pra Recife. Procuro me preencher, encontro uma ONG. Passo a dar aula de arte, entro na faculdade de pedagogia.

O propósito te desperta, te transforma e te deixa inquieto para mudar. 

Foi uma saga, o amor é uma saga e vale a pena sempre.  

  • Artigo escrito por Bruna Lins, cliente/agente/amadora/coração puro, moradora da cidade de Recife-PE.

Compra social: o futuro das compras

Publicado em

Nos últimos vinte anos, aproximadamente, o tema da responsabilidade ambiental esteve em voga na indústria, mudando processos de fabricação, distribuição e, por fim, a forma como a indústria se relaciona com o mercado. Vários produtos nocivos ao meio ambiente deixaram de ser produzidos (como o CFC, por exemplo) e houve um estímulo ao não consumo de marcas e produtos prejudiciais ao meio ambiente. Hoje, nós testemunhamos – e fazemos parte – um movimento para humanizar as relações de consumo, levantando problemas sociais graves como a fome, a desigualdade social, o difícil acesso à educação e saúde de qualidade, entre vários outros, tornando este, um movimento mais amplo, global e, consequentemente, mais poderoso.

Isso ocorre justamente quando uma nova geração começa a tornar-se mais presente no mercado de trabalho e começa a ter mais participação nas decisões do mundo. Esta nova geração – a qual faço parte – está preocupada em construir legado, em viver propósito e a compartilhar valores. Não por coincidência, o empreendedorismo social cresce com tanta força apoiado nas inovações tecnológicas que nossa própria geração está criando. Este crescimento vem mudando, de maneira definitiva, como negócios e empreendimentos são criados. Hoje, os valores intrínsecos de uma pessoa da atual geração – chamada de Millenials – têm de estar representados e completamente inseridos nos valores do seu empreendimento, do seu negócio e, até mesmo, nos valores das empresas em que eles buscam trabalhar.

– Este é até um dos motivos para o crescimento do empreendedorismo social, pois uma grande parcela de jovens, não encontrando empresas que compartilham de seus valores, decide criar as suas próprias empresas. –

Com isso, os problemas sociais – que cresceram consideravelmente junto com o crescimento desta geração – são o foco de combate, construindo soluções inteligentes para combater esse tipo de problema. Muitos desses jovens empreendedores enxergaram na relação de consumo uma oportunidade para gerar transformação social, evoluindo, de forma disruptiva, o relacionamento de consumidores com empresas e modificando por completo o relacionamento dos mesmos consumidores com os problemas sociais, através de um novo formato e conceito de compras: a compra social.

Duas empresas brasileiras com esse foco foram reconhecidas, em 2016, como iniciativas que vem se destacado por seu modelo de negócios e como ele está alinhado com o objetivo de impactar a sociedade brasileira, recebendo o Prêmio Laureate de empreendedorismo social: Euzaria e Risü.

A Euzaria criou sua própria estrutura e cadeia de relacionamento com fornecedores baseados em valores éticos e justos, apoiando e valorizando produtores locais. Além disso, a Euzaria transforma cada compra em suas lojas em um dia de aula para jovens apoiados pelo Instituto Aliança. Os valores da Euzaria não compreendem apenas o seu modelo de negócios, ele também é estampado em suas T-shirts com alma e demais produtos. Com essa proposta, a Euzaria engaja e inspira pessoas a consumirem produtos que gerem impacto social e contribua para transformar a vida de outras pessoas.

Risu

A Risü criou o conceito o conceito de cashforward (dinheiro pra frente) no Brasil, fazendo o contraponto de empresas de cashback (que entregam parte do dinheiro de volta para o consumidor). Assim, a Risü criou uma plataforma que agrega ONGs de todo o Brasil, uma rede de lojas online parceiras e uma infinidade de benefícios dessas lojas como ofertas exclusivas e cupons de desconto (ex: cupom de desconto Americanas, cupom de desconto Saraiva, cupom de desconto Netshoes). Assim, através da tecnologia criada pela Risü, qualquer pessoa do Brasil pode doar parte do valor de suas compras, em mais de 300 lojas parceiras, para uma ONG à sua escolha sem pagar a mais por isso. O grande propósito da Risü é, através da compra social, transformar a cultura de doação dos brasileiros e, consequentemente, criar uma consciência coletiva em prol da resolução dos problemas sociais no Brasil.

Antigamente, características como preço, prazo de entrega e qualidade do produto eram diferenciais no mercado. Hoje, tais características são obrigação para quem quer manter-se competitivo no mercado e, para aqueles que planejam continuarem no mercado, é cada vez mais crescente o número de pessoas que valorizam o que sua marca está fazendo para contribuir com uma sociedade mais justa e menos desigual.

E não se engane este é um movimento sem volta, pois é um movimento de gerações, onde o propósito fala mais alto do que o preço.

  • Artigo escrito por Lucas Borges – fundador da Risü, consultor de inovação, empreendedorismo social e branding social. Eleito como Jovem Empreendedor Social do Ano, em 2016 pelo Prêmio Laureate e pela International Youth Foundation. É membro Global Shapers, uma iniciativa do World Economic Forum.

Um dia de Prospera Experience

Publicado em

Na última terça-feira (6 de junho) eu tive o privilégio de presenciar o evento Prospera Experience, resultado de uma parceria entre a Cazulo e a Cin Capital Intelectual.

Quando vi a proposta do evento, em abril, eu senti um chamado muito forte para participar. Espia só um pedacinho da mensagem do folder:

“Organizações humanizadas e regidas por paixão e propósito elevam sua performance para o patamar mais alto dos negócios, unindo engajamento e felicidade de stakeholders com resultados econômicos excelentes, através de uma gestão baseada no amor.”

“Como assim, Brasil? Eu to sonhando? Vão dedicar um dia inteiro pra falar de performance corporativa, espiritualidade e pessoas?”😱

“EU TENHO QUE ESTAR LÁ!”

E eu estive. E desde então estou tentando assimilar o que aconteceu naquele dia.

💎  Pra começar, a Arte de Viver trouxe a gente pro momento presente – onde a vida acontece.

💎  Roberto Crema mencionou a NORMOSE – a doença do esquecimento que acomete as pessoas que se adaptam ao sistema e ajudam a mantê-lo.

Quem disse que as coisas precisam estar desconectadas? Quem inventou isso? Por que não podemos ser românticos trabalhando em um banco? Por que não podemos ganhar dinheiro trabalhando com propósito? Por que a razão não pode se fundir ao coração?

Quando foi que a criança interior deixou de ser espontânea? Por que não podemos ser seres humanos inteiros? Por que precisamos deixar pedaços nossos todos os dias do lado de fora do escritório?

💎  O Thomas Eckschmidt falou sobre o Capitalismo Consciente, conceito disruptivo e que aborda a geração de valor para todas as partes interessadas (colaboradores, empresa, meio ambiente, clientes, fornecedores, investidores, comunidade…).

Uma pesquisa feita pela Gallup mostra que apenas 30% dos colaboradores de uma empresa estão engajados com o que fazem; 50% cumprem tabela e 20% detonam a empresa (e essas pessoas, inclusive, contribuem para desmotivação de outras e para o péssimo clima no ambiente).

As pessoas estão buscando se voluntariar nos finais de semana para tentar preencher o vazio da rotina de trabalho sem propósito. É tipo comer “gordice” a semana inteira e fazer detox sábado e domingo. Você acha que funciona? Até quando seu corpo aguentaria isso?

“Ninguém que ama ou é apaixonado por algo, trata-o de qualquer maneira.” (Thomas Eckschmidt).

💎  O Kiko Kislansky e o Zé Pimenta contaram sobre a história da Euzaria. Eles deram uma aula de como se reinventar. Eles me ensinaram algo que eu definitivamente quero ser: Empreendedor (a) tartaruga. Olhar pra dentro antes de olhar pra fora! Fiquei encantada com as mil e uma maneiras que eles encontraram de gerar impacto local vendendo amor em forma de camisas, mochilas, canecas, quadrinhos… e como se reinventaram ao longo do caminho.

❤️>💲

💎 O João Ramos, CEO do Grupo Limiar, provou empiricamente que a equação que ele criou FUNCIONA!

EMPREENDEDORISMO = PROPÓSITO X AÇÃO

E se, PROPÓSITO = 0? O que acontece com o EMPREENDEDORISMO?

Ele materializou a equação nos negócios e mostrou que no centro de tudo estão as PESSOAS!

💎 O Gervásio Araújo deu uma aula sobre CONSCIÊNCIA e como seus níveis se manifestam no dia a dia. Ele também mostrou como podemos elevar esses níveis e alcançar a excelência.

💎 Gente, eu vivi pra ver um Painel com uma monja budista, um frei católico e o Gustavo Tanaka!

Frei Rogério Soares, todo engajado tecnologicamente, falou sobre Inteligência Espiritual no mundo corporativo. Ele disse uma coisa que me marcou muito: “Todas as religiões se encontram na MEDITAÇÃO.”

A monja Zentchu, que se dedica à transmissão dos ensinamentos de Buda, falou sobre a importância da PRESENÇA e a força maior que está por trás de tudo isso aqui – nosso SER.

Vi pela primeira vez uma palestra do Tanaka presencialmente. Não consigo explicar o quão forte é a minha conexão com seus textos, seus vídeos, sua história. Tanaka me fez enxergar que “Há algo de grandioso acontecendo no mundo” sim! Ele me ajuda a querer SER (intransitivamente falando). O fluxo dele inspira o meu. Gratidão é a palavra!

💎  O Cauê, da GPTW (Great Place to Work Brasil) mostrou porque as melhores empresas para se trabalhar se destacam. 1) Elas escutam seus colaboradores; 2) Elas possuem uma liderança bem preparada e 3)Elas criam práticas GIFTWORK®️. Muito amor pelo item 3!!! GIFTWORK®️, pelo que entendi, é ver o belo no simples, é gerar um valor imenso pra quem recebe com um baixo investimento pra quem dá. A gente não tem noção do poder que isso tem!

💎  Teve painel falando sobre a alma feminina nos negócios!
Lídia Abdalla, presidente do Instituto Sabin, apresentou como funciona uma organização humanizada e os resultados que isso gera. A empresa é uma das empresas melhores rankeadas pelo GPTW.

Mariana Serra cativou um cantinho no coração da gente contando sobre o Volunteer Vacations. Ela mostrou como trouxe significado maior pra sua vida unindo turismo com propósito em forma de voluntariado em localidades que precisam muito de AMOR EM MOVIMENTO. Um exemplo de geração de valor para todos os stakeholders.

💎  Pra fechar com chave de ouro, tive a honra de ouvir o Eugenio Mussak sentadinha na primeira fila!☺️ Ele é o romance em forma de gente. Ele, brilhantemente, mencionou o lema da Revolução Francesa “Liberdade, Igualdade e Fraternidade” e fez uma analogia com o capitalismo (liberdade), socialismo (igualdade) e como esquecimento da “fraternidade” fez com que ambos os modelos fracassassem.

Esse evento reforçou ainda mais a minha certeza do poder da ESPONTANEIDADE e da AUTENTICIDADE.

Cada um ali foi a sua melhor versão! Sua própria OBRA-PRIMA. Cada um do seu jeito, mas todos usando o amor para deixar um legado.

Um OBRIGADA GIGANTE a todos os envolvidos!

E já que, como vocês disseram, se uma pessoa saísse impactada, vocês teriam cumprido sua missão, podem ter a certeza de que eu saí daquele evento muito melhor!

Nem se eu quisesse, eu conseguiria expressar o quão feliz e grata eu estou por ter participado disso!

Acho que a imagem abaixo resume bem.

Tá acontecendo, gente! E tá lindo! ❤️

  • Artigo escrito por Isadora Corrêa, entusiasta e multiplicadora da Nova Economia